| 02/06/2020

Estou muito feliz de estar fazendo esse post hoje pois finalmente estou com mais tempo livre por conta da minha formatura! Me formei em Arts Management pela George Mason University e eu estou muito realizada com essa vitória!

Mas vamos ao que interessa, né? Tirei aí umas duas semaninhas pós provas finais e apresentações pra descansar porque eu estava simplesmente um caco. O que fazer pra relaxar em plena quarentena? Assistir série! Sim! Decidi assistir coisas que me deixam feliz pois o estresse estava brabo. Então, no meio dessa procura pelo que assistir, acabei vendo uma live com os atores de “Smash”, que é uma série que já acabou há um tempo e eu decidi revê-la. Bom, eu basicamente “comi” a série em três dias.

A série tem apenas duas temporadas e mostra os bastidores da produção de um musical da Broadway. A história apresenta Karen Cartwright, interpretada pela atriz e cantora Katharine McPhee, que está começando na carreira e como muitos, vive fazendo audições. A história mostra também a jornada de Ivy Lynn, interpretada pela atriz Megan Hilty, que ao contrário de Karen já está no meio há um bom tempo e já fez mais de 10 musicais na Broadway, porém sonha em ser a protagonista de um.

Dois renomados escritores de musical, interpretados por Christian Borle e Debra Messing, decidem escrever um musical sobre Marilyn Monroe que vem a se chamar “Bombshell”. A trama segue mostrando o lado pessoal e profissional dos personagens e claro, tem muita música e dança, pois estamos falando de um musical.

A música tema da série chama-se “Let me be you Star”, que é também a primeira do musical “Bombshell”. Boatos que depois de vários concertos de sucesso com as músicas da série, esse musical de fato vai pra Broadway. Muito louco, né? Um musical criado pra TV vai aos palcos de verdade. Tomara! Vou deixar aqui duas músicas pra vocês curtirem. A primeira do espetáculo que chama-se “Let me be your Star” e a que fecha o segundo ato que chama-se “Dont Forget Me”. Espero que gostem!

Vejo vocês no próximo post!

Vem conferir esses também!
| 12/01/2020

Fala pessoal! Tudo bem? Sei que eu estava um pouco sumidinha daqui, porém 2020 começou e com isso muitas metas, não é mesmo?

Queria explicar que um dos motivos pelos quais me ausentei um pouco daqui do blog é o fato de eu estar fora do Brasil fazendo um mestrado em Arts Management. É bem interessante, e de repente eu até escrevo um pouco sobre a experiência aqui.

Porém, todavia, entretanto, eu estava num mínimo recesso de fim de ano e decidi descansar e ver Netflix, pois era tudo que eu precisava nesse momento. Numa das minhas pesquisas netflíxicas eu encontrei um reality show chamado “Glow Up”, e eu devorei os episódios.

O reality se trata sobre maquiagem. A gente ama pouco, né? Os participantes são julgados por Val Garland e Dominic Skinner, Global make-up Director da Loreal Paris e Global Sênior Artist da MAC, respectivamente e realizam provas intensas de make que vai desde fazer um challenge pra social media até efeitos especiais em filmes de Hollywood.

Eu achava que mandava bem em make, mas vendo esse reality tive uma outra visão. Não de eu achar que eu sou ruim, mas de perceber que maquiagem é realmente uma arte.

Tinham desafios em que os participantes precisavam criar na hora uma maquiagem e tinham quase 3 horas pra fazer e eu ficava chocada com os resultados.

Um dos episódios que mais gostei foi o de West End. Os participantes precisam maquiar os atores de “Kinky Boots”, um musical que eu adoro! Então além de mostrar todo o backstage, ainda dá pra ver como é literalmente um trabalho que você precisa respeitar. Há um profissional que criou aquele look do personagem e precisa haver um respeito ao recriar aquela maquiagem. Muito bom! Como amante de musicais e de make, eu fiquei babando!

Outro momento legal foi quando Nikkie Tutorial foi a jurada convidada e o desafio foi sobre social media. Dá pra ver o trabalhão que dá cuidar de um canal do Youtube e produzir conteúdo de maquiagem. Eu achei genial, me deu vontade de largar tudo e ir estudar maquiagem.

Se você ficou interessado, checa no Netflix essa preciosidade e comenta o que achou.

Vamos nos ver mais esse ano hein! Meta 2020!

Mil bjos e um EXCELENTE início de década.

Nat

| 15/03/2018

Quem acompanha o insta do blog, sabe que o Divalogia passou uns dias em Madrid. Embora o post esteja meio atrasado, o que vale é a intenção. Então, demorei, mas irei dividir com vocês como foi a minha experiência na capital espanhola!

Teoricamente, foram 10 dias, mas também visitei outras cidades (Córdoba e Sevilla – conto mais sobre elas em outro post).Para conhecer Madrid, acho que 5 dias são suficientes. Antes de tudo, para quem está pensando em viajar para qualquer outro país, seguro viagem é muito importante. Visto isso, podemos seguir para a acomodação. Eu fiquei em um Airbnb, no bairro de Malasña e amei. O apartamento era pequeno, mas aconchegante, limpo, todo reformado, bem equipado, e o melhor de tudo, ficava a uns 5 minutos da famosa Gran Via.

Particularmente, eu amei Malasaña. Próximo de tudo, vida noturna bem agitada, com bastante comércio (detalhe: tinha uma loja da Make Up Forever. Amamos: sim ou claro? – Depois farei post sobre os batons que comprei lá). O Cafe de la Luz também fica no bairro, e além de ser uma gracinha, é ótimo para tomar aquele café da manhã. Para fazer comprinhas, a Calle Fuencarral tem várias marcas locais e internacionais também, tanto de vestuário, como de maquiagem (MAC, Urban Decay, NYX…). Só não achei os preços muito vantajosos. Ah! E tem o mercado de San Ildefonso, que é um mercado gastronômico. Confesso que fiquei um pouco confusa e demorei um pouco para me adaptar ao sistema espanhol de atendimento em bares e nos mercados, e toda a questão dos tapas. Não diria que é ruim, só é diferente do que estamos acostumados por aqui.

Cafe de la Luz

Mercado San Idelfonso

Mercado San Idelfonso

Mercado San Idelfonso

Nesses dias que fiquei em Madrid visitei o Museu do Prado, o Reina Sofia, Parque El Retiro, Mercado San Miguel, Templo de Debod, feira El Rastro, Catedral de la Almudena, Palácio Real de Madrid, Puerta Del Sol, Plaza Mayor e a Plaza de Toros. Pelo menos, é tudo que eu consigo me lembrar, depois de tantas sangrias e vinho branco. Para apreciar um vinhozinho e uns tapas, recomendo o Museo del Jamón e o bar Stop Madrid.

Templo de Debod

Catedral de la Almudena

Palácio Real de Madrid

Mercado San Miguel

Mercado San Miguel

Mercado San Miguel

Mercado San Miguel

Parque El Retiro

Plaza de TorosEntre esses dias na capital espanhola, tirei um para conhecer Toledo. Cidade-labirinto medieval linda, que fica a uns 30 minutos de Madrid, indo de trem. Vale muito a pena a visita. Mas preparem os joelhos e pés para subir e descer ladeiras o dia inteiro 🙂

Chegando na cidade, o ideal é comprar a Pulseira turística, que te dá direito de visitar 7 pontos turísticos de Toledo, custou 9 Euros. Só não estava incluído a Catedral de Toledo, que custou 10, mas valeu cada euro de tão linda.

Toledo

Toledo

Toledo 

Curtiram?!

Vem conferir esses também!