| MODA
| 07/08/2020

No dia 31 de julho, Beyoncé lançou o tão falado Black is King, álbum visual do projeto The Lion King: The Gift, pelo serviço de streaming da Disney, o Disney Plus.

Não é novidade que a diva, cada vez mais, se utiliza de seus projetos para dar voz ao ativismo crescente em sua carreira, de pouco mais de vinte anos.

Black is King é uma verdadeira carta de amor à diáspora africana. Nas palavras da própria artista, o projeto tem o ojetivo de celebrar a beleza da ancestralidade negra. Bey defende que quando negros contam as próprias histórias, é possível mudar o eixo do mundo, e contar a história REAL, de riqueza cultural, espiritural e de resiliência.

Sobre o projeto, Beyoncé diz ainda que, são apresentados elementos da história negra e da tradição africana, com um toque moderno e uma mensagem universal. A ideia é ressignificar o que é encontrar sua auto-identidade como negro.

Por muito tempo, a negritude foi considerada, por aqueles que não fazem parte dela, como feia, indesejável e indigna. Black Is King é, justamente, um lembrete de que esse tipo de pensamento é errôneo.

Nós éramos a beleza antes que eles soubessem o que era a beleza.

Bey, The Queen

Sendo assim… Vai ter África de alta-costura em Black is King, sim! Tem luxo e brilho, sim! Muitas cores, tules e estampas, principalmente, a de oncinha. Tudo o que for necessário para tentar dimensionar a riqueza e a beleza da negritude.

E é nesse quesito estético que vamos focar nesse post. Porque cada música é um show de beleza.

Bigger

Aqui, Beyoncé personifica Iemanjá. Para esta cena, usou um vestido personalizado de Wendy Nichol. O cabelo e a maquiagem são simples e neutros.

Seguindo a linha de looks com grandes grifes, nesse frame, Bey usa Burberry. O look é visto várias vezes em todo o Black Is King . Mas é o penteado trançado com miçangas e chifres que chama a atenção. A franja é adornada com miçangas douradas, enquanto tranças emolduram os dois lados do rosto. Os chifres são enfeitados até a metade com tranças, ancorados por um disco trançado. Só queria saber como isso foi feito… Imagina o trabalho…. Mas valeu a pena.

Already

Tranças Fulani com nós Bantu e, conjunto personalizado Loza Maléombho.

Conjunto de rendas e seda nigeriano, com contas à mão Jerome Lamaar, combinado com brincos Live to Express Pearlii.

Water

Nesse clipe, a diva posa em um vestido de babados da Mary Katrantzou, do outono de 2019. E esses cachos? Quero! No entanto, o que mais amei sobre o look foi esse glow rosé gold, tanto no fundo quanto na make e na pele.

Brown Skin Girl

Essa música é muito amor. Uma verdadeira injeção de autoestima. E visualmente, ela é deslumbrante, assim como todas nós, meninas pretas. O penteado é uma homenagem aos estilos tradicionais usados ​​pelo povo Mangbetu do Congo.

Provavelmente, é um dos looks mais icônicos do álbum-visual.

Power

Já no final de Black is King, a musa usa Mugler, primavera de 2020, tranças e muito poder.

Para o projeto, Beyoncé contou com sua estilista de confiança, Zerina Akers, para traduzir sua visão estética para a obra. O cabeleireiro principal Neal Farinah, juntamente com uma equipe que incluiu Nakia Rachon Collins, foram responsáveis por criar estilos trançados que faziam referência à tradição africana. 

Rokael Lizama e Sir John , completam o time compondo maquiagens impressionantes, que estão inundando os feeds do Instagram.


            
| ESTILO
| 05/08/2020

Ontem foi aniversário de uma das minhas leoninas preferidas, que eu nem sabia que era leonina. Meghan Markle, a Duquesa de Sussex, completou 39 aninhos e continua linda e estilosa. Então, em comemoração, resolvi fazer esse post para apreciarmos o estilo da Duquesa mais querida.

Markle sempre se mostrou uma fashionista gente como a gente. Nos tempos pré – Príncipe Harry, a musa desfilava looks básicos, sóbreos e elegantes. Porém, ousava mais nos decotes, fendas e tops cropped.

Looks de red carpets e eventos.
Look de Meghan para promover Suits.


Algo que acho bem bacana do estilo pré-realeza da Meghan é que ela conseguia montar uns looks HiLow, combinando até boné com outros acessórios mais fashionistas.

Aquele jeans destroyed de cada dia, companheiro de quase todos os looks.
Cores neutras. Bem blogueirinha.
Look básico arrumadinho para passear com o Bogart.

Quando o namoro com o príncipe Harry foi divulgado e sua imagem já estava automaticamente ligada a dele, o estilo teve uma leve adaptação. O vestuário de Meghan ficou menos fashionista e mais clássico. E seguiu assim até o casamento.
Muitas dessas combinações são dignas de figurino de Rachel Zane. Porém, para falar do estilo dessa personagem querida, eu precisaria de outro post…

Mas… Ainda rolava uma licença poética para um destroyed jeans de vez em quando, enquanto o noivado ainda não tinha sido anunciado.

Depois, já duquesa, Meghan segue a linha mais formal, dando preferência para looks monocromáticos.

Meghan em eventos da realeza.
Midi é o novo sexy sem ser vulgar

Como não amar esse momento princesa da Disney?

Na fase gravidinha, a duquesa explorou cores mais vivas…

Mas não deixou os tons neutros clássicos de lado.

Após o nascimento do bebê Archie, Meghan adaptou o guarda-roupa enquanto retornava ao shape, sem perder o estilo.

No quesito acessórios/ joias e maquiagem, não tivemos grandes mudanças. Meghan sempre foi adepta ao aos skinny rings e brincos pequenos, mais delicados. Já a maquiagem, permanece leve e feminina.

Eu sou suspeita, adoro todas as fases e looks. E permaneço na torcida pelo retorno do The Tig.
E vocês, também curtem o estilo da Meghan?

Vem conferir esses também!
    | 23/07/2020

    O post de hoje é rápido e é para quem ainda não conferiu o último vídeo do canal!

    Em homenagem à dupla pop mais amada do Brasil, resolvemos fazer um vídeo interinho dedicado a eles: Sandy e Junior! Se você acompanha o blog há algum tempo, já deve saber que eles fazem parte do nosso hall de Divas & Divos. Na época da turnê ” Nossa História”, rolaram algumas fotos dos shows lá no nosso Instagram. Quem lembra?

    Lá no YouTube, nós contamos sobre como os irmãos surgiram em nossas vidas, como foi crescer fã de Sandy e Junior e falamos sobre a nossa experiência com a turnê comemorativa dos trinta anos de carreira da dupla.

    Além disso, lá no vídeo você ainda confere o que achamos da série-documentário da dupla lançada pelo Globoplay e nossa expectativa para o DVD da turnê, que já está disponível na mesma plataforma de streaming.

    Para quem preferir, o áudio também está disponível no nosso podcast.

    E você, também é fã de Sandy e Junior? Já assistiu a série e o DVD? Conta para gente o que achou!